sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Case de Negócio - Uma Insight Genial

O negócio

A relojoaria ABC (nome fictício) atuante no mercado há 4 anos, situada em São Paulo, mais exatamente em um Shopping Center de grande movimento. Possui 3 (três) funcionários, além do proprietário que gerencia e permanece no local durante todo o horário comercial.

Ao acaso

Em dia qualquer um empreendedor vagava pelo Shopping em busca de algum produto para que pudesse presentear um ente querido. Ao acaso se deparou com tal relojoaria. A vitrine prosaica não despertava grande interesse, relógios e acessórios desorganizados, produtos de excelente qualidade misturados com de baixa, funcionários apáticos e passivos aguardando a entrada de possíveis compradores. Mesmo com essa péssima primeira impressão, resolveu adentrar  o estabelecimento. Recepcionado informalmente, sentou-se, solicitou algumas informações sobre um relógio específico. Os "hipotéticos vendedores" não conseguiam responder, apenas o "chefe" tinha a resposta, sendo que esse estava ausente. Ainda interessado pediu o contato telefônico pessoal do "chefe", que com certa resistência foi cedido.

Constrangido com toda a situação, agradeceu, e partiu em retirada. Inquieto como todo empreendedor e ainda atônito com tal desleixo, sentiu a necessidade de fazer algo (agir). Surgia ali a vontade encontrando uma oportunidade para geração de valor.

Contato com o proprietário (chamado de "chefe" pelos funcionários) 

No dia seguinte ligação efetuada. Curto, direto e incisivo o empreendedor apresentasse, relata o ocorrido na noite anterior e sem meias palavras propõe a criação de um novo plano de negócios para a relojoaria, algo que iria muito além uma melhoria.

O proprietário desconfiado - não poderia ser diferente - diz: como assim? Em um dia de visita a minha loja, você acha que pode me propor algo? Você nem conhece meus números, não conhece nada...

O empreendedor responde: sim, claro. Foi apenas uma proposta, vamos marcar uma reunião, você me passa informações e em uma semana te apresento um novo plano de negócios.

O proprietário reticente, fala: aceito, mas não vou pagar nada por isso.

Reunião

Dados na mesa (faturamento, contrato de locação, salário dos funcionários, enquadramento tributário, fornecedores, etc). Discute-se perspectivas atuais e futuras da economia, do setor,  do ambiente, entraves burocráticos, etc.

O empreendedor, já atuando mais um como consultor de negócios coloca questões como: qual é a sua estratégia de vendas, quais são riscos, qual o público alvo da loja, qual segmento de atuação, etc. Faz questionamentos óbvios: número de clientes recorrentes, número de visitas a loja, desempenho de cada vendedor (meta de vendas), etc. O proprietário fica meio desnorteado, está tão alheio a tudo que chega a ser ridículo.

Sem contar o fato de que está operando a dois anos sem retornos satisfatórios, praticamente jogando no zero a zero. Conversa vai, conserva vem a reunião se encerrar e o empreendedor assumi o compromisso de em uma semana entregar um plano de negócio e ainda coloca claramente que pretende aquirir uma parte (70%) da empresa e assumir a operação da loja.

Plano de Negócios

Definições:
 
Primeiro:
- Redefiniu-se missão, visão, objetivos da relojoaria,
- Definição de público alvo: homens classe média alta e alta, com elevado poder aquisitivo,
- Forte atuação no pós-venda e serviços de suporte;

Segundo:
- Reestruturação (layout, cores, logomarca),
- Demissão dois funcionários que não tinha o perfil para o novo modelo de negócio (nesse setor a beleza estética dos vendedores e algo precípuo),
- Mudança de vendedores passivos(espera o cliente) para ativos(vai atrás do cliente),
- Venda de estoque de produtos de segunda linha (realizado com prejuízo);

Terceiro:
- Plano de Marketing e captação de clientes implementado imediatamente

Ao meu ver algo simplesmente GENIAL: 
Cabe explicação, o empreendedor é um homem que tem por volta de 35 anos, absolutamente favorecido pelos privilégios da sorte (nasceu em uma família abastada financeiramente e teve acesso a melhor educação/instrução formal possível). Olha essa sacada: ele como consumidor assíduo dos serviços profissionais ofertados por garotas de programa de luxo, teve a brilhante ideia de transformar elas em captadoras/vendedoras ativas de relógios e acessórios de luxo. 
Entrou em contato e apresentou a ideia, hoje ele tem uma rede ativa de pelo menos dezenove (19) GPs que atuam fornecendo seus serviços primários (no qual a relojoaria não interfere) e além disso o serviço secundário de venda de relógios e acessórios de luxo (no qual a relojoaria é parte interessada). As mesmas recebem comissão por venda ou cliente prospectado, existe um sistema informatizado onde cada GP tem um código e cada cliente ganha diferentes descontos a depender do código.

Fantástico, um jogo de ganha-ganha. Um modelo de negócio impecável, homens de alto poder aquisitivo, com desejos sofisticados e de alta qualidade, seduzidos por mulheres maravilhosas.
 
- Plano de transição (projeção e implementação para o to-be/estado futuro almejado)

Resultado

Hoje a loja constituída sob a forma societária, 70% do empreendedor e 30% do proprietário (assim o chamei durante o escrito). O faturamento mais que quintuplicou, número de vendas saltou, desbravou um novo mercado, um novo conceito, uma nova ideia. Não tem mais nada o que falar.


Falow.
Pardal Investidor
Case real, evidente que foi suprimido diversos detalhes. Sou fascinado pelo mundo dos negócios e por conhecer pessoas que fazem acontecer. Interessante ou não?


domingo, 27 de novembro de 2016

NoFap, Deserto Sexual, Monogania e Sexo Pago - Parte 1

Ainda me surpreende o número de homens que não percebem os efeitos nocivos do consumo abusivo de pornografia. O prazer do gozo solitário a qualquer tempo, acessível a um click, tem inibido o desenvolvimento de diversos homens numa área de essencial importância na vida, a saber: o desenvolvimento sexual.

Eu já relatei que durante um tempo fui um consumidor voraz de pornografia. Entre os 12 e os 17 anos era minha principal atividade diária, ligar o computador, encontrar algo interessante (com o tempo você passa a perder cada vez mais tempo buscando novidades) e partir para o fap. Olhando de forma retroativa até entendo essa ânsia, pois nesse ínterim não tinha qualquer atributos (principalmente financeiro e físico) que me qualificasse ao mundo dos prazeres sexuais.

Para mim os 17 anos foi o limite, chegou um ponto, em que o deserto sexual ou seria superado ou seria o fim da minha sanidade mental. Foi nesse cenário que iniciei minha vida no submundo puntanhístico.

Perceba a essa altura, eu vinha começando meu desenvolvimento financeiro. Estágios e outras atividades que geravam caixa, ou seja, eu tinha grana, não muito é claro, eu tinha poder financeiro, senhores, esse foi um dos meus primeiros insights da real: com dinheiro eu sempre teria sexo. Isso foi um passo fundamental para minha maturidade e pode servir para você. 

Na outra ponta uma sede insana pelo desenvolvimento físico, a construção de um shape de respeito. E aqui enfatizo: o shape em evolução tem correlação positiva, com a confiança, autoestima, foco, concentração, disciplina, etc. Simples, comecei a ser notado. Foi meu segundo insights da real: com o shape sinistro minhas possibilidades de sucesso com mulheres aumentam de forma exponencial. Comece a treinar, já.

Com esses dois fundamentos, suas chances de cair um círculo vicioso de FAP, reduzem drasticamente.

NoFap

A busca desvairada e compulsão pela masturbação. Atribuir a masturbação solitária uma fonte de escape para frustrações sexuais. Como toda ilusão, vai durar um tempo, se você demorar para cair na real pode ser irreversível. Vou além e me atrevo a dizer que mais vale um sexo intenso uma vez por semana do que sete dias de fap. O resultado do fap no longo prazo é contraproducente, com o aprofundamento do vicio (atente-se, raramente o viciado se aceita como tal), o resultado é mais frustração e decepção. O imaginário prazer, se transforma em sentimento de culpa.

Já vivi ciclos de fap insanos: japonesas, americanas, russas, loiras, morenas, ruivas, duas, ménage à trois, etc. O universo da pornografia virtual é praticamente infinito, essa variedade conduz cada vez mais para praticas não convencionais, coisa verdadeiramente degradante.

"Nada se equipara ao prazer de penetrar uma mulher, ouvi-la gemer e observá-la ofegante. 
Pardal

O NoFap é um movimento que vem trazer os fatos e levar conhecimento para quem entrou nessa, SAIR. E entrar na trilha do desenvolvimento sexual aqui já mencionado.



A primeira vez que ouvi falar de NoFap foi em um video do Terry Crews. Você pode buscar conteúdo na internet, tem bastante.
Sem arrogância, nem presunção. Nunca fico sem sexo, sempre pago, seja direto (contratando uma profissional, que legitimamente recebe pelos serviços prestados) ou indiretamente (mantendo uma relação conjugal e arcando com custos de tal incumbência). Senhores de uma vez por todas: "There is No Free Lunch".

Mas mesmo assim, o fap sempre é uma tentação. Não faz mal, o que faz mal e entrar com no mindset de "Fap minha única alternativa", "fap all day". O que faço:
1 - Não bloqueio site nenhum, é uma firmeza de vontade NÃO fapear, um compromisso comigo mesmo,  autocontrole;  

2 -  Qualquer momento instável, desligo o computador imediatamente;

3 -  Claro que todos temos capacidade psicosexual (lembrar de cenas e partir para o fap), minimizo indo a algum lugar que tenha pessoas (ficar no portão de casa olhando a rua, descer no elevador e ficar na portaria, etc);
4 - Ciclos curtos
Exemplo: 7 dias ---> NoFap, e dobra, 14 dias ---> NoFap
Obs: Claro que tudo depende da sua atividade sexual, adapte ao seu caso concreto.

Detalhe: Melhora bastante o seu sono, disposição, força. Isso eu percebo claramente. 
Faça o teste: Fap e transe no dia seguinte, depois passe sete dias em NoFap e transe com a mesma mulher. As duas transas são totalmente diferentes, a segunda flui no estado da arte.

Para não alongar vou escrever em partes, ainda tem muito a ser abordado.

Falow,
Pardal Investidor

Esclarecimento: Não sou referência para ninguém, muito menos dono da verdade. Sou apenas um pensador livre e perspicaz observador da realidade, por vezes externalizada nesse espaço. Post escrito bem antes do meu retorno, agora publicado. Tem mais uns 30 nessa mesma condição.